sexta-feira, 21 de julho de 2017

"Dunkirk": «nunca nos renderemos»

Christopher Nolan - conhecido por ter realizado a famosa trilogia do Batman: O Cavaleiro das Trevas, Inception e Interstellar, entre outros - traz-nos esta sua versão única e moderna deste momento histórico que foi a "Operação Dynamo" durante a Segunda Guerra Mundial. Dunkirk é filmado na sua maioria com câmaras IMAX.


Encurralados pelos soldados alemães, cerca de 400.000 homens ingleses e franceses não tinham por onde fugir a não ser pelo mar. Depois de uma ordem de Winston Churchill, vários barcos - de grande e pequeno porte - foram buscá-los. 
A partir do primeiro segundo do filme somos transportados para as Praias de Dunquerque, no norte de França. Muitos filmes de Guerra fazem sempre uma pequena introdução, uns momentos mais suaves, e só depois é que começam as cenas mais intensas, na maioria das vezes em campos de batalha. Aqui temos pânico e horror logo desde o inicio e sentimos que estamos a viver tudo aquilo na primeira pessoa, tal é o realismo do filme. 
Para filmar Dunkirk, foram usadas câmaras IMAX de 70mm que têm uma qualidade muito superior às de 35mm normalmente utilizadas. Nunca nenhum realizador antes tinha filmado desta maneira e Nolan é dos poucos que são capazes de o fazer, como o próprio explica.
“Very few people have ever done that before, and no one has ever shot as much IMAX as we’re doing. Most of the film is IMAX. With every film we’ve learned more and more how to maximize our ability to use those cameras, and we found ways to get those cameras into very unusual places for a camera that size, but the image quality speaks for itself. I think it’s going to be an extremely exciting presentation, particularly in those IMAX theaters.” - Christopher Nolan em entrevista à Fandango
Para além da qualidade de imagem, também o som é de extrema importância. Primeiro temos todos os barulhos que são essenciais num filme deste género: as balas, as bombas, os motores dos aviões, o vento, as ondas do mar... É de destacar o som dos motores dos Spitfires, que nas salas IMAX parece que passam mesmo por cima das nossas cabeças e faz com que tudo estremeça à nossa volta. Mas o que marca a diferença em Dunkirk é também a sua banda sonora, composta por Hans Zimmer, que é tão intensa como as situações vividas no filme. Há quem diga que Christopher Nolan é o Hans Zimmer do Cinema e Hans Zimmer é o Christopher Nolan da Música. Seja como for, os dois juntos são capazes de atingir a perfeição. 
No filme temos cenas de salvamentos, de fugas em barcos e temos também as cenas de aviação, que merecem um grande destaque. Para a sua realização foram necessárias várias câmaras: interiores, que filmam o piloto e tudo o que acontece dentro do avião, e exteriores, que mostram as laterais do avião e tudo o que está atrás dele - os aviões dos inimigos, por exemplo, quando estes não se apresentam num ângulo morto.
Relativamente aos atores presentes, Nolan escolheu jovens, de modo a tornar tudo mais realista. A maior parte dos soldados que estiveram na Batalha de Dunquerque eram rapazes de vinte anos e, para Nolan, não fazia sentido colocar um ator de trinta anos a fazer o papel de um rapaz de dezanove. As caras que aqui estão presentes não são muito conhecidas, com exceção de Harry Styles - que, no entanto, era desconhecido pelo realizador. Para Fionn Whitehead (um dos protagonistas), por exemplo, este é o seu primeiro grande filme e foi uma surpresa quando foi escolhido nos castings. Curiosamente, ambos afirmaram que pouco representaram pois tudo era uma reação natural ao que ia acontecendo. De resto, temos também o oposto: caras que já nos são familiares dos filmes de Nolan, como é o caso de Cillian Murphy e Tom Hardy, que interpretaram dois dos vilões da trilogia do Batman.
Dunkirk é por várias razões um grande filme que vai ser recordado durante muitos anos, tanto por motivos históricos como pela fantástica realização, imagem e som. É capaz de nos prender como nenhum outro antes foi capaz de o fazer e, acima de tudo, mantem a História viva. Não é apenas um filme de Guerra, é um filme sobre sobrevivência. É uma experiência única no Cinema.
Para terminar, deixo aqui um excerto das palavras de Churchill depois da evacuação: 
"(...) Lutaremos até ao fim. Lutaremos na França. Lutaremos nos mares e oceanos, lutaremos com confiança crescente e cada vez mais força no ar. Defenderemos a nossa ilha, seja qual for o custo. Lutaremos nas praias, lutaremos nos terrenos de desembarque, lutaremos nos campos e nas ruas, lutaremos nas colinas; nunca nos renderemos (...)"

10 comentários:

  1. Excelente Review do filme, fiquei realmente curiosa para o ver. O Nolan é um realizador de excelência e portanto já seria de esperar mais um filme de grande qualidade.

    My Own Anatomy ✨

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada! Este foi o primeiro comentário que fizeram aqui no meu blogue e deixou-me realmente feliz. Quanto ao filme, recomendo vivamente que seja visto no Cinema. Está excelente!

      Eliminar
  2. Então agora podes ficar mais feliz porque tens mais um comentário ��

    ResponderEliminar
  3. Tenho muita curiosidade de ver o filme, até porque adoro adaptações, quando vi que foi lançado o livro, ficaram logo ambos na minha wishlist =)

    MRS. MARGOT

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu estou a pensar em ler o livro assim que acabar o que estou a ler agora. Quanto ao filme, recomendo mesmo uma ida ao Cinema! :)

      Eliminar
  4. Já tinha curiosidade em ir ver, mas agora ainda fiquei mais curiosa, boa review! :)
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderEliminar
  5. Respostas
    1. Recomendo que vás ver ao Cinema! Obrigada pela visita! :)

      Eliminar

Todos os comentários, opiniões e sugestões são bem vindos e ajudam-me a melhorar o que por aqui escrevo. Se forem novos seguidores do blogue, peço que me informem! Muito obrigada!